Da Congada às congadinhas

 

O ciclo de oficinas de contação de história do projeto “Congada | congadinha fortalecer e transmitir a cultura caipira entre gerações” foi coordenado por Marinilda Bertolete Boulay, e desenvolvido entre junho e julho 2015. As contações estenderam-se às escolas da zona urbana e rural da cidade de Socorro. Duas contações foram realizadas no Salão Azul, da Biblioteca da cidade, que fica no Paço Municipal. Elas colocaram em valor esse espaço dedicado à literatura, e ao saber, que funciona em um dos prédios históricos, que compõem o patrimônio arquitetônico de Socorro.

 

O tradicional mastro das Festas Juninas foi erguido na Biblioteca onde as crianças participando da contação puderam amarrar suas intenções e pedidos.

 

Segundo Marinilda os fundamentos da história dessa manifestação tradicional herdados dos anciãos da congada de São Benedito e Divino Espírito Santo de Socorro, foram transmitidos de maneira lúdica às crianças, que muito se divertiram não só cantando, mas também dançando e desenhando.

 

Tendo à disposição a indumentária composta pelas capas de fitas multicolores, os chapéus, as espadas, e instrumentos da congada, as crianças foram levadas a dançar em dois grupos, um com fitas azuis e outro com vermelhas. Elas simulavam assim o cortejo da congada, quando os congos dispostos em duas filas dançam ao som dos cantos entoados pelo Mestre e replicados pelo Contra-Mestre e/ou a Rainha (seus “segundos”).

 

A frente de cada “Congadinha”, que foi sendo composta durante a contação, estavam a Rainha, que levava o estandarte bicolor com as palavras de ordem : “Paz, amor e tolerância”. Ao seu lado duas crianças conduziam as bandeiras bordadas com a pomba da Paz, seguidas pelo rei, o capitão o mestre, e os músicos.

 

O cortejo realizado pela “Congadinha” avançava “tramando”, e fazendo evoluções, até chegar ao momento mais bonito da coreografia, ou seja a “Embaixada”, uma dança dramatizada, ritmada pelos sons das espadas de madeira dos congos simulando uma luta. Na leitura atual do projeto essa luta é travada pela paz, amor e tolerância entre diferentes religiões, culturas e povos. Esse espírito de confraternização é lembrado numa das músicas cantadas pela Congada de São Benedito e Divino Espírito Santo de Socorro : “Enquanto existir congada nosso mundo não tem guerra”.

 

O projeto totaliza 8 contações, que além de  filmadas e fotografadas, foram registradas num desenho coletivo feito por todas as crianças participando de cada uma delas. Esses desenhos foram expostos na Biblioteca Municipal no momento do encerramento do projeto, quando as Congadas Infantis da cidade ali encontraram com a “Congada Tradicional de São Benedito e Divino Espírito Santo” e seguiram em cortejo pelas ruas da cidade até a Praça da Matriz.

 

Esse site teve seu lançamento oficial nesse momento!

Oficinas

Copyrigth © 2015 - Marinilda B. Boulay / criação Samuel Vasconcellos

fortalecer e transmitir a cultura caipira entre gerações

Copyrigth © 2015 - Marinilda B. Boulay / criação Samuel Vasconcellos